terça-feira, 22 de junho de 2021 05:36

INÍCIO | LINKS ÚTEIS | TRABALHE CONOSCO | CONTATO


Administração rural: já pensou nisso?

Seção:
Postado em 12/06/2015

Administrar uma propriedade rural não é algo fácil, exige aprendizado, experiência, planejamento, organização, mudanças, muita persistência e dedicação. Mas antes de tudo, é preciso ter muita afinidade com o negócio rural. Costumo dizer que um administrador rural precisa de muita atitude. Neste sentido, um bom administrador precisa ser determinado e competente para executar os planejamentos e atividades propostas.

Com o advento e desenvolvimento da tecnologia, o agronegócio brasileiro caminha com foco na competitividade e na modernidade, fazendo da utilização permanente da tecnologia um caminho para a sustentabilidade e lucratividade.

Os desafios são imensos. A logística, a alta carga tributária, pouca segurança em leis específicas e a própria política, que muita vezes esmaga aqueles que produzem os produtos para consumo de toda a população.

Veja bem, o agronegócio é um setor estratégico para a economia brasileira, representando cerca de 23% do PIB brasileiro, sendo o único setor com crescimento expressivo diante da crise que está assombrando os brasileiros.

Todo esse cenário se reflete no grau de complexidade do gerenciamento deste tipo de negócio. Para conviver e sobreviver o produtor necessita dar ao seu negócio caráter empresarial e produzir com eficiência técnica e econômica e, especialmente, com qualidade.

Mais do que saber produzir, é preciso que os produtores rurais aprendam a administrar, uma vez que o produtor rural de sucesso precisa obter não apenas informações sobre produção e tecnologia, mas conceitos administrativos em áreas de gestão e finanças.

Segundo pesquisa realizada pela consultoria Kleffmann, percebe-se que o produtor foca quase que exclusivamente na terra, descuidando do escritório que administra os bens. O empresário precisa ter na mão a lucratividade e a rentabilidade da sua produção, analisar custos e riscos, separar despesas pessoais, contas bancárias pessoais das contas do agronegócio, e, ainda separar a contabilidade fiscal da gerencial.
Ou seja, há necessidade de o produtor assumir uma postura mais empreendedora, com capacidade de assumir riscos, habilidade para identificar oportunidades, conhecimento do seu negócio, organização, disposição, liderança e otimismo.

Sempre há possibilidades de se melhorar, mas o reconhecimento do grande mérito que o produtor rural brasileiro possui não pode deixar de ser mencionado, admirado e, principalmente, aplaudido!

Eduardo Kümmel
Advogado e Diretor da Kümmel & Kümmel Advogados