terça-feira, 22 de junho de 2021 04:26

INÍCIO | LINKS ÚTEIS | TRABALHE CONOSCO | CONTATO


El Niño e a lavoura de arroz na região central

Seção:
Postado em 30/10/2015

A confirmação de ocorrência do fenômeno climático El Niño começa a dimensionar como serão as condições climáticas no segundo semestre. O El Niño caracteriza-se pelo aquecimento anormal das águas do Oceano Pacífico Equatorial. Provoca uma série de eventos atmosféricos capazes de alterar o clima em todo o mundo. O fenômeno climático mais forte manifestou-se nos anos de 1982/1983, quando as temperaturas da água do mar chegaram a ficar sete graus acima do normal, com enchentes nos estados da região Sul e seca na região Nordeste. A última ocorrência do evento foi em 2009/2010.

Por aqui a coisa não anda nada boa e as notícias também não são nada animadoras. A ZH noticiou, recentemente, aquilo que eu estava prevendo há alguns dias – O plantio de arroz na região central está no início, mas cerca de metade da área já semeada com a cultura terá de ser replantada, conforme dados do Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga).

Fala-se que na área de abrangência do escritório de Santa Maria (que compreende ainda São Martinho da Serra e Dilermando de Aguiar) cerca de 500 hectares já foram plantados, o que representa 4,4% da área prevista para esta safra. Em Santa Maria, a Secretaria de Desenvolvimento Rural estima que, contando apenas o arroz pré-germinado, a quebra já tenha sido de 80%.

Porém, os produtores devem perder parte do investimento, já que chuva intensa da segunda semana de outubro ainda não escoou nos terrenos. “O arroz gosta de água, mas a chuva foi como uma torneira em um balde cheio. Lavouras perto de rios que transbordaram viram os brotos sendo levados embora”, lamenta o técnico orizícola do Irga de Santa Maria, Roger Almada.

De acordo com a Emater regional de Santa Maria, os produtores de arroz precisam de 5 a 15 dias secos para plantar, dependendo da altitude da área. Mesmo considerando a modalidade pré-germinada. Com a previsão de instabilidade até o fim de outubro e de um volume grande de chuvas na região central para o dia 27, resta pouco tempo para o plantio dentro da época preferencial.

A necessidade de 10 dias de tempo seco para continuar preparando a safra preocupa os arrozeiros, que poderão perder a janela de plantio. É provável que a safra será prejudicada, mas ainda é cedo para quantificar. Em tempos difíceis e de incerteza, o melhor é começar a rezar para que São Pedro nos dê, ao menos, uma trégua!

Eduardo Kümmel
Advogado e Diretor da Kümmel & Kümmel Advogados