quarta-feira, 23 de junho de 2021 00:30

INÍCIO | LINKS ÚTEIS | TRABALHE CONOSCO | CONTATO


Não temos tempo para a infelicidade

Seção:
Postado em 31/08/2012

A vida é realmente intensa, rápida e cheia de caminhos! Digo isto, pois conversando e refletindo com a minha esposa Edilia sobre os caminhos da vida, chegamos à conclusão de que não temos tempo para sermos infelizes. Ao olhar nosso filho Lucas de 4 e meus filhos Carlos Eduardo, de 15anos e Ana Lucia, de 12 anos, vemos que o tempo passa muito rápido e que temos que ficar o máximo possível de tempo com nossos entes queridos.
Se nos propusermos a acumular dinheiro e patrimônio, com certeza perderemos a oportunidade de convivermos mais com nossa família, com os filhos, com as pessoas que mais amamos e ainda sufocando os sonhos do coração. Precisamos saber que o valor está nas pessoas, não nos bens e cargos ocupados, tudo isso passa, o que realmente fica são as nossas ideias, obras e sentimentos.
Roberto Shinyashiki diz que não se consegue ser feliz valorizando mais a opinião dos outros do que seus próprios sentimentos. Alguns se sentem infelizes, mas raciocinam: “Se os outros estão aplaudindo é porque estou no caminho certo”. E avançam nas suas frustrações. E como é difícil escolher entre dar o melhor financeiramente para nossa família ou estar ao lado dela dando o que é essencial, amor, carinho e a nossa presença.
No batizado de nosso afilhado Diogo, filho de nossos queridos amigos Douglas e Karen, o padre foi bem claro em seu sermão ao dizer que nossa vida depende muito de nossas decisões, de nossa capacidade de avaliar o que realmente é importante. É fundamental descobrirmos a importância das coisas pelas quais devemos lutar e seguir em frente, sem perder tempo.
Daí, sou o primeiro a ratificar que a vida é feita de escolhas. Não podemos queimar fases. Se quisermos aproveitar os trinta anos como se tivéssemos vinte, certamente perderemos a fase dos trinta. E de repente, se quisermos ser mega empresários, com dedicação integral, por certo poderemos perder a fase de sermos mega pais. E mais uma vez eu pergunto: qual a melhor escolha?
Assim, convido todos os leitores a serem felizes. Devemos buscar cada vez mais a felicidade plena na família e no trabalho. Traduzir em fé, amor, carinho e felicidade nossa crença em Deus. Amemos nossa esposa como se fosse o último dia; aproveitemos e brinquemos com nossos filhos como se no outro dia não houvesse mais energia para o videogame. Vejamos nossos amigos como irmãos e nossos colegas de trabalho como os melhores amigos.
Só assim saberemos que a vida não nos dá tempo para infelicidade. Como muito bem disse Clarice Lispector “não tenho tempo pra mais nada, ser feliz me consome muito”.

Finalizo comemorando mais uma vez o aniversário do meu amigo Padre Lauro Trevisan, parabenizando-o e ressaltando também como ele, em várias de suas obras, que não podemos perder mais tempo buscando a infelicidade com mesquinharias, pois, “A VIDA É UMA FESTA!”.

Eduardo Kümmel
Advogado e Diretor da Kümmel & Kümmel Advogados Associados